Agenda de pesquisas sobre o funcionamento das estruturas do Estado brasileiro

//Agenda de pesquisas sobre o funcionamento das estruturas do Estado brasileiro

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea, desde 2010, desenvolve uma agenda de pesquisas sobre o funcionamento das estruturas do Estado brasileiro e como estas se articulam com a sociedade civil organizada. Esta agenda ampliou o conhecimento sobre as instituições participativas federais, as conexões entre burocracias e grupos de interesse e o papel e relevância das organizações da sociedade civil (OSCs) na formulação, implementação, monitoramento e avaliação de políticas públicas.

 

A publicação aqui apresentada dá continuidade a este esforço. Os dados e análises que constam nas páginas seguintes apresentam retrato atualizado inédito sobre o universo das 820 mil organizações da sociedade civil com CNPJs ativos no Brasil, em 2016, com dados detalhados do pessoal ocupado referentes a um grupo menor, 525 mil OSCs, referentes à 2015. Esta fotografia é necessária porque o perfil e a diversidade das OSCs no território brasileiro proveem insumos para o gestor público formular mais qualificadas e efetivas políticas públicas em parceria com as organizações, entrega ao pesquisador um conjunto de dados para formular novas questões sobre o tema, e possibilita às OSCs e a sociedade conhecerem melhor este universo. Ao lado da gestão pública, o setor empresarial privado, agências internacionais constroem estratégias de parceria, investimento e de formulação de políticas a partir de informações estruturadas sobre o setor. Todos encontrarão nesta publicação informações para subsidiar suas análises e respectivas decisões, quando for o caso.

 

Este trabalho contou com a equipe de desenvolvimento do Mapa das Organizações da Sociedade Civil, sob gestão do Ipea, e sua construção envolveu também a colaboração de um grupo de discussão constituído por especialistas no tema vinculados a órgãos de pesquisa, universidades ou coletivos das OSCs1. O grupo se reuniu ao longo do segundo semestre de 2017, no Rio de Janeiro, para debater a estrutura da publicação e seus resultados. Boas contribuições vieram do grupo, mas a responsabilidade pelos dados gerados e as análises correspondentes são dos autores desta publicação.

 

2018-08-21T13:10:37+00:00